sexta-feira, 9 de junho de 2017

Humilhado por um curry tailandês


O bacana aqui chegou todo pimpão à casa de curries em Bangkok, estufando o peito. "Sou versado nos paranauês da culinária asiática. Temos isso tudo em São Paulo, I love it, pode trazer!" "Medium or spicy?" "I guess medium will do", respondi com uma piscadela galante.

Bem, o que se seguiu foi a cena - patética - em que o toureiro canastrão é desmascarado, diante de uma arena cheia, e arrega diante do bicho. Quando essa belezura aromática da foto chegou em uma cumbuca de porcelana, sorri satisfeito até levar uma garfada cheia à boca, e me sentir vítima de um atentado com arma química: aaaaargh!!!

A real é que a "culinária tailandesa" servida na nossa "cosmopolita São Paulo" foi drasticamente pasteurizada para os paladares ocidentais. Teve que ser assim, ou as casas fechariam as portas, mas aí um incauto como eu chega à nave-mãe com excesso de autoestima e cai do cavalo, num duplo twist carpado rumo ao chão, sem rede de proteção.

Com o orgulho ferido, tive que intercalar as garfadas incendiárias com um ameno filé ao molho de ostra (mais bunda-mole, impossível) e um pintosérrimo smoothie de morango e abacaxi que só não veio com guarda-chuva porque eu já estava passando vergonha suficiente (tsc, tsc, tsc!)

É... até fui tentando elevar a picância da comida nos meses anteriores à minha viagem, mas não me preparei o suficiente, e levei pau na primeira prova. Mas você não perde por esperar, Tailândia. Perdi a batalha, mas ainda estou na guerra.