sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Sobre o Carnaval carioca

Meu carnaval de 2012 foi mais light do que nos anos anteriores. Eu não estava com vontade de me jogar com tanta força, e por isso fui na contramão da maioria dos meus conterrâneos. A bicharada paulistana desceu em peso para Florianópolis e eu escolhi o Rio. Foi ótimo poder dar uma olhada num bloco aqui, numa festinha ali, e também poder fazer outras coisas, ver amigos, comer umas comidinhas leves. Adorei os petiscos asiáticos do Mekong e o japa em caixinhas do Bentô. Abriram em Ipanema uma filial do 00, em formato bistrô, e outra do Balada Mix, num casarão antigo que se esforça para imitar o Gula Gula da Henrique Dumont. Por incrível que pareça, o New Natural da Farme deu uma boa melhorada - teve até atum selado no bufê.

Os blocos de rua já vinham crescendo ano após ano, e a prefeitura limitou o número para tentar controlar a baderna na cidade. A novidade deste ano foi que os gays finalmente resolveram se juntar a esse tipo de folia. No sábado anterior ao Carnaval, o bloco de Preta Gil levou meio milhão de pessoas ao Centro, com presença fortíssima das colegas. No carnaval, muitas bees se infiltraram, não só na Banda de Ipanema (que está cada vez mais família) mas também em blocos menos óbvios, como o Boitatá. Em relação às festas, a The Week não se preocupou em repetir o brilho das produções de Florianópolis. Quem mais se destacou foi a B.I.T.C.H., considerada a melhor festa da temporada; a última Pool Party se estendeu até 7h da quarta-feira de cinzas e também agradou.

O lado ruim do Carnaval: a cidade não soube fazer frente a esse crescimento tão rápido. Aspectos como limpeza das ruas e sobretudo segurança deixaram muito a desejar. Multidões sempre foram propícias a furtos, mas neste ano a coisa parecia descontrolada - no domingo, em questão de 40 minutos, dois amigos meus perderam os celulares nas imediações da Farme, e ambos eram cariocas da gema, bastante vividos e calejados. Chego a ter dúvidas se o Rio está mesmo preparado para sediar os eventos de grande porte que vêm por aí. Parece-me que a cidade ainda tem muito o que melhorar para não dar vexame.

4 comentários:

Antônio LaCarne disse...

thiago, tô simplesmente encantado com o teu blog. vou a sp em maio e desde já estou organizando a minha viagem. seu blog veio super a calhar. anotei várias dicas para preencher os dias.

grande abraço, vc já está adicionadíssimo ao meu blog roll.

Daniel disse...

Ninguém comentou nada aqui? O que eu tinha pra dizer eu comentei no meu blog. Só me respta esperança que nos anos seguintes a tendencia de proficionalização da organização do carnaval de rua aumente mais ainda. Mas este ainda foi insuficiente.

Thiago Lasco disse...

Antônio: Obrigadão, cara! Volte sempre ;-)

Daniel: Eu estava com um problema nos comentários, agora eles reapareceram ;-)

Diego Castro disse...

Eu estou seriamente pensando em sumir do Rio no carnaval do ano que vem. Simplesmente não dá mais: mita baderna, bagunça.....