domingo, 8 de abril de 2012

A hora de Lana

Se em 2011 só deu Adele, este parece ser o ano de Lana Del Rey. Pelo menos entre as bilus que estão sempre procurando uma nova cantora para chamar de sua. Vários amigos meus já adotaram, e eu acho que ela tem mesmo potencial para virar uma diva gay. O clipe de "Born To Die", com aquela aura de mistério e todo aquele carão poderoso, é queer até a medula, e certamente será refeito por drag queens em palcos diversos mundo afora. O disco, irregular, tem alguns bons momentos, mas não tem apelo radiofônico. O que é ótimo, pois a superexposição pode ser uma praga: vide a própria Adele, que orkutizou tanto que virou tema de novela e até nome de rua em Santo Amaro.

É evidente que tudo em Lana Del Rey é fabricado, dos lábios botocadérrimos à tal "aura de mistério" do vídeo. Mas ingênuos seríamos nós de acreditar que o universo pop ainda tem artistas crus, seminais e autênticos. A própria noção de autenticidade virou clichê, assim como o rótulo de "alternative rock" que rádios e lojas dos Estados Unidos colam em bandas que há muito viraram mainstream, como Green Day e Foo Fighters. Alternativo a quê, cara-pálida?

Melhor deixar essa discussão de lado e se inspirar pela voz lânguida e derramada de Lana, que, se bem trabalhada, pode render até bons hinos de pista. O André Garça fez um rework de "Video Games" que me deixou simplesmente pretérito. Ele jogou uma linha de baixo rebolativa, acrescentou uma percussãozinha pra dar aquela latinizada (bem sutil e chique), e transformou o que era um momento introspectivo e invernal em um vulcão house, sofisticado e sensual. E o melhor, soube fazer isso sem descaracterizar Lana. As guei vão tudo pirar: o remix ficou perfeito para colocar uns óculos bem caros e sair jogando o ombrinho e dando close por aí. Confira o resultado aqui.

12 comentários:

Lucas T. disse...

Pavor do remix e pavor da Lana del Rey. Quando ela aprender a cantar ao vivo talvez eu mude de idéia.

Thiago Lasco disse...

Lucas, cantar ao vivo já deixou de ser requisito há muito tempo - Madonna está aí pra não me deixar mentir, néam? ;)

Rafa disse...

Já dei algumas chances a Lana e ela não me pegou. Agora o remix é muito bom para as minhas corridas...

Lucas T. disse...

@Thiago
Hahahaha, né? Britney então...

Thiago Lasco disse...

Eu não acho a Lana Del Rey a salvação da lavoura, ela não é genial nem nada, e o disco é irregular. Mas acho um produto pop interessante para este momento de entressafra, enquanto não vem algum outro grande talento (uma nova Adele, por que não?). Pelo menos ela não vai tocar 1000x por dia no rádio como "Someone Like You", que eu adorava e agora não consigo mais ouvir... rs

TONY GOES disse...

Mas ela é ASSUMIDAMENTE pré-fabricada. O nome, os lábios, a atitude... O que incomoda as pessoas é que ela não é uma cantora dance. Se você adotar o nome de Lady Gaga, andar com uma lagosta na cabeça e cantar hinos para as pistas de dança, você é genial. Mas se adotar uma máscara para cantar baladas de sabor indie - um gênero onde esperamos que os artistas revelem quem eles são na intimidade - o mundo cai. Lana del Rey brinca com esses clichês e incomoda muita gente. Mas, no frigir dos ovos, achei o disco bastante bom.

Anônimo disse...

Biu, demorou pra descobrir a Lana. Ela deve estar muito feliz em saber que VOCÊ acha que ela tem futuro. Se manca.

wair de paula disse...

Lucas, eu achei que era a unica pessoa a nao gostar da Lana del Rey. Ela me dá um sono...E talvez o mercado precise de um novo talento a cada estação, mas sei que eu não preciso. Em termos de trabalho, prefiro aguardar novas gravaçōes de quem já está por aí, talvez. Exceto Britney, que não suporto...

Anônimo disse...

Engracado como esse remix aqui é tão parecido com o "do" Andre Garça? http://soundcloud.com/thecubeguys/lana-del-rey-video-games-the

deco disse...

Estou em surto.Avassaladoramente apaixonado por Lana. O Born to Die é irregular sim mas não deixa de ser muito bom.Lana tem aura de diva dos anos 30/40.Que as bibinhas fiquem com a Tia,a Brit e o berreiro(que até já gostei mais) da Adele.

Anônimo disse...

Eu ainda fico com a Florence. A Adele não precisa ser substituída, já que não morreu, nem se aposentou. Mas se estamos fazendo comparações, acho que Lana fica devendo bastante até pra Florence. Gustavo Pinto

Anônimo disse...

adoro Blue Jeans